Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Manuela Azevedo: Gosto de café


Manuela Azevedo, vocalista dos Clã

Manuela Azevedo é a cantora de uma banda portuguesa chamada Clã, e respondia deste modo a uma  pergunta muito simples do jornal DN (Diário de Noticias) para a secção Gosto Não Gosto. Fica bem clarinho que ela gosta de tomar café e como, não é?



Gosto de café. Gosto de cafés. Gosto de café com chantilly, de bolo de café, semifrio de café, bavaroise de café... Gosto de café com bolo de chocolate. Não gosto de café com açúcar. Gosto de café bem quente. Não gosto de café morno. Não gosto de café frio. Gosto de gelado de café. Gosto de tomar café em casa. Gosto do café (de filtro) que faço em casa. Gosto do cheiro do café moído. Gosto de cafeteiras de vidro. Gosto de chávenas de café bonitas e pesadas. Não gosto de borras de café no fundo das chávenas. Gosto do cimbalino. Gosto do café nos cafés. Não gosto de tomar café de pé. Não gosto de beber café depressa. Gosto de me sentar para o café. Gosto dos cafés antigos, com mesas, empregados e clientes antigos. Gosto de cafés com livros. Gosto de café-concertos. Gosto de cafés com história(s). Gosto de conversas de café, com café. Não gosto de cafés com música alta. Não gosto de cafés com a televisão aos gritos. Não gosto do aviso «proibido estudar» nos cafés. Gosto de entrar num café para fugir do frio. Gosto de pedir um café numa esplanada cheia de sol. Não gosto de cafés com luzes frias. Não gosto de cafés a cheirar a fritos. Gosto de me sentar num café para ler o jornal. Gosto de marcar encontros em cafés. Gosto que me convidem para tomar café. Gosto de cafés com grandes janelas para a rua. Gosto de cafés à beira-mar. Gosto dos velhos cafés do Porto. Gosto de tomar café com os amigos. Também gosto de chá e salões de chá. Mas não gosto de «misturar» bebidas...


Nota. No Porto pedem um cimbalino em vez de um café ou uma bica.





Tira a Teima
(Carlos Tê / Hélder Gonçalves)

Se um dia me aproximar de ti
Não penses que é só um flirt
Não julgues que é um filme
Que já viste em qualquer parte
Pensa bem antes de agires
Evita ser imprudente
Faz a carta do meu signo
E vê à lupa o ascendente

Tem cuidado e tira a teima
Vê aquilo que sou
Tem cuidado e tira a teima

Tu não sonhas ao que venho
Não sabes do que sou capaz
Eu dou tudo quanto tenho
Não funciono a meio gás
Vem sentar-te à minha frente
Diz-me o que vês em mim
Não respondas já a quente
Pondera antes de dizer sim

Tem cuidado e tira a teima
Porque aquilo que
Sou fere, rasga e queima
Tem cuidado e tira a teima
Porque aquilo que sou
Fere, rasga e queima

Diz-me diz-me se vês o granito
Onde a cidade, os grandes temas
Diz-me se vês o amor infinito
Ou somente um par de algemas

Tem cuidado e tira a teima
Porque aquilo que
Sou fere, rasga e queima
Tem cuidado e tira a teima
Porque aquilo que sou
Fere, rasga e queima

Tem cuidado e tira a teima
Vê aquilo que sou
Tem cuidado e tira a teima
Vê aquilo que sou