Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Cumprimentar, apresentar e apresentar-se...


Para os alunos do 1º ano, estes diálogos retirados do livro Lusofonia, como apoio do que estamos a estudar neste momento.


A Ana e o João estão numa esplanada . O Carlos passa na rua e cumprimenta a Ana.

Carlos: Olá, viva!
Ana: Olá, bom dia!
João: Quem é ele? Eu não o conheço...
Ana: É o Carlos Santos. É meu vizinho.
João: O que é que ele faz?
Ana: Trabalha na Rádio.
João: Ah sim ? É jornalista?
Ana: Não. Trabalha nos serviços administrativos.
João: Parece simpático!...
Ana: Ele é simpático... É mesmo muito simpático!...



A Joana encontra a Teresa e apresenta-lhe o irmão, o Miguel.

Joana: Olá, Teresinha, bom dia!
Teresa: Ó Joana! Olá, por aqui? Estás boa?
Joana: Estou óptima. É verdade, já conheces o meu irmão?
Teresa: É o teu irmão?! Sou a Teresa Almeida. Muito prazer.
Miguel: Muito prazer. Miguel Ramos.
Joana: Para onde é que tu vais?
Teresa: Vou para a biblioteca.
Miguel: Olha que coincidência! Nós também...
Joana: Ótimo! Vamos todos...



O João e o Pedro são amigos e encontram-se na rua por acaso ...

João: Olá. Bom dia. Tudo bem?
Pedro: Olá, João! Viva! Como é que estás?
João: Estou óptimo. Onde é que vais?
Pedro: Vou ali ao quiosque, vou comprar o jornal; queres vir também?
João: Não, agora não posso. Não tenho tempo. Eu telefono-te mais tarde, OK?
Pedro: Está bem. Então até logo.
João: Até logo.



A D. Manuela apresenta a sra. D. Ana Oliveira ao Director.

D. Manuela: Dá-me licença , sr. Director? Está aqui uma senhora que quer falar com o senhor . É jornalista.
Dir: Ah, sim? Pode mandar entrar.
D. Manuela: Faça favor de entrar, minha senhora.
[Para a senhora] Apresento-lhe o senhor director.
[Para o director] É a senhora D. Ana Oliveira.
Ana: Boa tarde, sr. Director. Sou a Ana Oliveira. Muito prazer.
Dir: Faça o favor de se sentar. Toma um café?
Ana: Um café? Tomo com muito gosto. Muito obrigada.




terça-feira, 25 de abril de 2017

O 25 de Abril para as Crianças: O Tesouro, de Manuel António Pina



Vamos ler um breve conto intitulado O Tesouro, escrito por Manuel António Pina, para que vocês comprendam o significado da Revolução do 25 de Abril de 1974, conhecida como a Revolução dos Cravos, para a história contemporânea de Portugal.

Arquivo Electrónico / O 25 de Abril para os mais novos








"A música que em 25 de Abril de 1974 lançou os Militares Portugueses para a rua. Era o inicio do golpe de Estado. "Acabava" a Ditadura.."




segunda-feira, 24 de abril de 2017

De "-ción" espanhol a -ção português


Estão a ver? É muito fácil aprender muito vocabulário português sem esforço sendo espanhol ou falando a nossa língua.

Vou dar uma dica muito fácil. Como passar de palavras espanholas que terminam em -ción para as correspondentes palavras portuguesas. Substituímos esta terminação por -ção, e pronto, já temos a palavra em português. A origem é a terminação latina -tione (Já temos falado várias vezes do latim, língua mãe das nossas duas línguas).

Por exemplo, vejam como é fácil passar do espanhol "canción" para o português canção.

Agora podem fazer vocês:

imaginación, tentación, nación, situación, animación, edición, loción, tradición...


Há algumas excepções como lição ("lección"), mas não faz mal. Essas excepções vocês aprendem aos poucos.


,




"Karingana ua karingana"



Karingana ua karingana: Fórmula clássica de iniciar um conto em Moçambique e que possui o mesmo significado de “Era uma vez”.  É o título de um livro do poeta moçambicano José Craveirinha.







quinta-feira, 20 de abril de 2017

A viajar de elétrico por Lisboa







Uma janela para o Iván



De certeza que o Iván, da turma do 1º D, poderá debruçar-se desta janela, ou da outra cá em baixo, porque de uma "chanela" não o poderia fazer... Reparem no som do j [ʒ], é bem diferente do som representado pelas letras ch, ou x, já sabem: [ʃ]

Ah, por causa da janela lembrei-me de uma bonita canção tradicional do Alentejo intitulada Menina estás à janela, que recolheu, arranjou e canta o nosso amigo Vitorino. Clicamos no link e ouvimos.



 Menina na janela (Fotografia de Sílvio Riechi)





Revisão dos indefinidos



E não se esqueçam dos indefinidos invariáveis:


Para pessoas: alguém / ninguém

Para coisas: tudo (= todas as coisas) / nada



quarta-feira, 19 de abril de 2017

"Viajar! Perder países!" (Fernando Pessoa)


    Viajar! Perder países!
    Ser outro constantemente,
    Por a alma não ter raízes
    De viver de ver somente!
    Não pertencer nem a mim!
    Ir em frente, ir a seguir
    A ausência de ter um fim,
    E a ânsia de o conseguir!

    Viajar assim é viagem.
    Mas faço-o sem ter de meu
    Mais que o sonho da passagem.
    O resto é só terra e céu.

    Fernando Pessoa, 20-9-1933




terça-feira, 18 de abril de 2017

Os meus a migos (António Torrado)


Reuniu-se a família. Veio a avó, o pai, a mãe, o miúdo mais graúdo, o miúdo mais miúdo, e a prima Elisa que nunca falta a estas coisas. Reuniu-se por tanto a família toda à volta de uma mesa. Não era dia de Natal. Não era dia de anos. Era um dia qualquer...

António Torrado, Os meus amigos