Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Despedimo-nos até janeiro do ano próximo!



Menino sentado (1945) é uma obra do pintor brasileiro Cândido Portinari (1903-1962).


Boas festas para todos os alunos do 1º e do 2º ano!






quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

O cavalinho de pau do Menino Jesus (Manuel António Pina)





O Pai Natal sofre um acidente. E agora? (Clementina Braga)



Este conto foi escrito por Clementina Braga para meninos portugueses mais pequenos do que vocês, alunos do 1º ano, mas acho que podem ouvir e ler esta história, não faz mal. Ouvem e, ao mesmo tempo, leem no vídeo. E para além disso, o texto fica cá em baixo...


O Pai Natal sofre um acidente. E agora?

Antes de mais, permitam que vos diga que estou a escrever em nome do velho Pai Natal e sou a sua rena guia, o Rodolfo.

Estão curiosos por saber a razão de ser eu a escrever-vos? Então eu vou contar.

Aqui, na casa do Pai Natal, nesta altura do ano, é uma grande confusão. Muitos duendes, o Urso Polar, algumas Focas, a Fada das Neves, a Estrela do Norte, as minhas companheiras renas, o Boneco de Neve muito friorento e muitos mais amigos que vêm ajudar.

Todas as divisões da casa estão repletas de embrulhos, de fitas e laços, de coisas doces, para serem distribuídas pelos meninos que, durante o ano, se portaram bem.
Ora acontece que, há cerca de um mês, o Boneco de Neve resolveu ir aquecer-se, ao pé da lareira. Já estão a imaginar o que aconteceu? Isso mesmo! Começou a derreter e molhou a sala toda.

Entretanto, o Pai Natal chegou de uma longa viagem à terra dos Moomis cheio de frio e foi direitinho à lareira. Catrapum, pum, pum, o pobre estatelou-se no chão, ao escorregar na água que antes pertencia ao Boneco de Neve.

Foi muito angustiante. O nosso amigo estava no chão, cheio de dores. O Urso Polar, que é o mais forte, pegou nele e foi sentá-lo no sofá. Então, a Estrela do Norte foi chamar o velho Xamã para vir tratar o Pai Natal.

Diagnóstico: - o meu amigo tem três costelas partidas, um grande galo na cabeça e não se pode mexer durante quatro meses – disse o Xamã. - Não, não pode ser - resmungou o Pai Natal. - Quem é que vai distribuir os presentes, este ano?

- Tu é que não vais, disse o velho curandeiro.

Pois é. Foi difícil convencer o velho barbudo que este ano não pode sair de casa.

Já imaginam quem vai fazer o serviço? Claro, eu mesmo. Já tenho o trenó carregado, as minhas companheiras (Veloz, Flecha, Clarão, Cometa, Cupido e Blitze) estão prontas e é só esperar que a Estrela do Norte aceite guiar-nos até a casa dos meninos.

Eu sei que sou a guia do trenó, mas isso é só quando o Pai Natal conduz. Sem ele, eu não sei orientar-me. Quando fui à escola, gostava mais de andar a brincar na neve do que estudar e, assim, nem os pontos cardeais aprendi.

Ah, também vos quero avisar, que os meninos que pediram Playstation, telemóvel, computador, não vão receber nada disso, pois a crise também chegou à terra da fantasia. Aqui há brinquedos feitos de madeira, biscoitos de gengibre, bombons de xarope de ácer, bolos de frutos silvestres, tudo produtos da nossa terra.
E pronto. Esperem por mim lá para a noite de 24.

Uma grande lambidela com muito carinho.

P.S. O Pai Natal manda beijinhos e pede para se portarem bem.


Clementina Braga



(Obrigado à Ágora Gaia pelos seus vídeos e guias!)



Uma ideia para a árvore de Natal







quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Um avião chinês a aterrar



Um avião da linha aérea nacional da China a aterrar não sabemos onde. Reparem nessa menina. Tapa as orelhas por causa do grande barulho; o avião está muito perto...

A fotografia é de 编号223.



Ainda nao é tempo de bolo rei, mas...




Pois é, meninos e meninas, ainda não é tempo de comermos o bolo rei, mas como vimos no livro, este doce é também tipico de Portugal, e podem comprar agora em Elvas, sem esperar pelo mês de janeiro, como devemos fazer cá em Espanha, geralmente.


Bolo rei é um bolo típico português que se come tradicionalmente entre o Natal e o Dia de Reis. O seu nome alude aos três reis magos.

De forma redonda, com grande buraco no centro, é feito de uma massa branca e fofa misturada com passas, frutos secos e frutas cristalizadas. Tradicionalmente, no interior do bolo encontravam-se também uma fava seca e um pequeno brinde, normalmente feito de metal. A fava dava a quem a recebesse numa fatia o direito de pagar o próximo bolo rei, e o brinde dava sorte a quem o encontrasse.

A origem do bolo rei remonta, ao que se sabe, ao tempo dos romanos. Estes tinham por hábito eleger o rei da festa durante os banquetes festivos, o que era feito tirando à sorte com favas, pelo que era também designado por vezes de rei da fava. A Igreja Católica aproveitou o facto de aquele jogo ser característica do mês de Dezembro e decidiu relacioná-lo com a Natividade e com a Epifania, ou seja, com os dias 25 de Dezembro e 6 de Janeiro. A influência da Igreja na Idade Média determinou que esta última data fosse designada por Dia de Reis e simbolizada por uma fava introduzida num bolo, cuja receita se desconhece atualmente.

(Wikipédia)





terça-feira, 19 de dezembro de 2017

A música de Natal de 2017 da Rádio Comercial!



As músicas de 2014 (a da Taylor Swift) e 2016 aqui! Para compreender melhor a deste ano, vejam a de 2014.





Azevinho de Coimbra


Estamos em dezembro, às portas das férias do Natal, e cá temos umas folhas e uns frutos de uma bonita cor vermelha de uma árvore chamada azevinho em português, muito típica deste dias.

Alguém sabe o nome desta árvore na nossa língua?

A fotografia é de Robert Grant e foi tirada em Coimbra neste mesmo mês.


segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Ipanema e Copacabana, praias do Rio de Janeiro






Como acho que todos sabem, no Brasil, que fica no Hemisfério Sul, estão agora no verão... Alguém gostava de dar um mergulho nestas praias cariocas?


A fotografia é de Bruno Barbey, e foi tirada em 1980.




Menina assustada


Esta menina parece assustada, não acham, meninos e meninas do 2º ano? Uma boa cara de susto. O que é que ela terá visto?

Com dois esses porque aí temos um som surdo, já sabem, não sabem? Com um esse é espanhol!

A fotografia é de Frances Murray.



sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Paisagem com chaminé de fábrica, 1910 (Wassily Kandinsky)



Wassily Kandinsky (em russo: Василий Кандинский; 1866 - 1944) foi um artista plástico russo, professor da Bauhaus e introdutor da abstração no campo das artes visuais. Apesar da origem russa, adquiriu a nacionalidade alemã em 1928 e a francesa em 193.





Mais um provérbio chinês



É para pensar nestas palavras que têm dentro muita verdade.




quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Um belo iceberg



Todos sabem que a parte maior de um iceberg (a forma aportuguesada aicebergue encontra-se registada em vários dicionários portugueses e brasileiros) fica por baixo de água.. Mas uma coisa é saber e outra ver...

Foto - Tobias Friedrich - Cater News





Um menino a ouvir o mar num búzio


Um dia dei por acaso com esta fotografia de Edouard Boubat, Remi a ouvir o mar (1955) e tempo depois achei este texto que fica ótimo para acompanhar a fotografia.


O som do mar nos búzios do mar

Quando era pequena na casa da minha avó existia um búzio grande ao pé do telefone e eu costumava agarrar no búzio e coloca-lo perto do meu ouvido e assim ouvia o mar, mas não estava nem perto do mar. Sempre me questionei do porquê de ouvir o mar nos búzios, hoje sei e partilho aqui.

Quando "ouvimos" um búzio estamos apenas a ouvir todos os sons que estão ao nosso redor. A forma do búzio funciona como um amplificador do som ambiente. Encostando o búzio à orelha o ar que passar por ali vai bater e voltar nas superfícies curvadas do búzio, esta ressonância do ar acaba por criar o som que ouvimos. Quando maior o búzio mais tempo o ar vai demorar para reverberar na superfície, assim, a altura do som será mais baixa. Com os búzios mais pequenos o efeito é o contrário.

Texto retirado do blogue Tudo sobre tudo


terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Com quem é que eu vou jogar futebol?






36 segundos a voar sobre o Bairro do Chiado



No nosso livro encontramos o Chiado, o lisboeta Bairro do Chiado. Para ficar a conhecer um pouco melhor, vamos voar por cima dele.

O Chiado é um dos bairros mais emblemáticos e tradicionais da cidade de Lisboa. Localiza-se entre o Bairro Alto e a Baixa Pombalina.

(Wikipédia)


Largo do Chiado




segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

UMA árvore!



Alunos do 1º ano (e do também!), não se esqueçam disto: a palavra árvore é feminina em português:

a árvore - as árvores

uma árvore - umas árvores


E daí que, para além dos artigos definidos e indefinidos, os adjectivos e outras palavras, que possam aparecer ao lado dela devem estar no género feminino:

Há uma árvore muito bonita nesse jardim.

Essas árvores são  muito antigas.

As árvores são benéficas para a saúde das pessoas.






A raposa e o tambor





Conta-se que uma raposa esfomeada chegou a um bosque onde, ao lado de uma árvore, havia um tambor, que soava furiosamente cada vez que, ao sopro do vento, os ramos da árvore se moviam e batiam nele. Ao ouvir tal ruído, a raposa dele se aproximou e, já em frente ao tambor, pensou: "Este deve conter muita carne e muita gordura." Lançou-se sobre ele e, esforçando-se, conseguiu rompê-lo. Ao ver que era oco, disse: "Talvez as coisas mais desprezíveis sejam aquelas de maior tamanho e de voz mais forte."


Al Mukafa Ibn. Calila e Dimna. trad. Mansour Chalita. Rio de Janeiro: Associação Cultural Internacional Gibran, s.d. p. 13.



(Fonte: Aprende Português)

_______________________________


As fábulas (em latim: fabula , "história", "jogo ou narrativa") são composições literárias curtas, escritas em prosa ou versos em que os personagens são animais que apresentam características antropomórficas, muito presente na literatura infantil. As fábulas possuem caráter educativo e fazem uma analogia entre o cotidiano humano com as histórias vivenciadas pelas personagens, essa analogia é chamada de moral e geralmente é apresentada no fim da narrativa.

(Wikipédia)




terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Anda Comigo Ver os Aviões (Os azeitonas)


Acho que alguém da turma de 2º D gosta desta banda portuguesa... Aproveitem a boa ponte que temos pela frente...

Os Azeitonas são uma banda portuguesa de rock alternativo do Porto, formada em 2002. A banda é constituída por Mário Marlon Brandão (vocalista), Luísa Nena Barbosa (vocalista) e João Salsa Salcedo (vocalista e teclado). Eles lançaram cinco álbuns de longa duração e um DVD.

A banda é conhecida pelos seus singles bem sucedidos "Quem És Tu Miúda", "Anda Comigo Ver os Aviões", "Café Hollywood", "Ray-Dee-Oh" e "Tonto por Ti".


(Wikipédia)


ANDA COMIGO VER OS AVIÕES

Anda comigo ver os aviões levantar voo
A rasgar as nuvens
Rasgar o céu

Anda comigo ao porto de Leixões ver os navios
A levantar ferro
Rasgar o mar

Um dia eu ganho a lotaria
Ou faço uma magia
E que eu morra aqui
Mulher tu sabes o quanto eu te amo,
O quanto eu gosto de ti
Nem que eu morra aqui
Se um dia eu não te levo à América
Nem que eu leve a América até ti

Anda comigo ver os automóveis à avenida
A rasgar nas curvas
A queimar pneus

Um dia vamos ver os foguetões levantar voo
A rasgar as nuvens
A rasgar o céu...

Um dia eu ganho o totobola
Ou pego na pistola
E que eu morra aqui
Mulher tu sabes o quanto eu te amo

O quanto eu gosto de ti
E que eu morra aqui
Se um dia eu não te levo à lua
Nem que eu roube a lua,
Só p'ra ti

Um dia eu vou jogar à bola
Ou vendo esta viola
Nem que eu morra aqui
Mulher tu sabes o quanto eu te amo

O quanto eu gosto de ti
E que eu morra aqui
Se um dia eu não te levo à América
Nem que eu leve a América até ti





Jano

Busto de Jano nos Museus Vaticanos


Nunca conheci ninguém chamado Jano... até começar este ano letivo. Um aluno da turma de 2º A chama-se Jano. É um bonito nome, e tem muita coisa atrás dele. Vamos ver todos e aprender, porque aprender, saber, é sempre bom!


Jano (em latim: Janus) foi um deus romano das mudanças e transições. (...) A figura de Jano é associada a portas (entrada e saída), bem como a transições. A sua face dupla também simboliza o passado e o futuro. Jano é o deus dos inícios, das decisões e escolhas. O maior monumento em sua glória se encontra em Roma e tem o nome de Ianus Geminus (gêmeos Jano).

(Wikipédia)


O Templo de Jano era um antigo templo dedicado ao deus Jano, o deus duas faces das fronteiras, localizado perto do Argileto, no Fórum Romano. Ele tinha duas portas, uma cada extremidade, e abrigava uma estátua do deus. Estas portas, chamadas de "Portas de Jano" eram fechadas em tempos de paz e abertas em tempos de guerra.

Templo de Jano (Fórum Romano), na Wikipédia.


Templo de Jano com as portas fechadas (a guirlanda marca o evento). À frente, a Vitória apresenta os espólios da guerra (Fotografía de Sailko)




Sestércio de Nero com o Templo de Jano fechado no reverso, com as guirlandas indicando o momento festivo (Fotografia de Classical Numismatic Group, Inc)


Desenho de Giovanni Battita Piranesi. Templo chamado vulgarmente de Janus (Coleção Kamei da Biblioteca da Universidade de Tóquio).




segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Os robôs e as leis da robótica


A Laura, aluna de 2º D, gosta de robótica, como todos sabem, acho eu, e participou na RoboRave 2017 na nossa cidade (29 de novembro a 3 de dezembro).

Com a ajuda da Wikipédia vamos aprender alguma coisa sobre os robôs.

O termo robô foi pela primeira vez usado pelo checo Karel Capek (1890-1938) na peça de teatro R.U.R. (Rossum's Universal Robots, (...) de 1921 em Praga. Inicialmente Capek estava decidido a chamar as criaturas automatas da sua peça de labori, em clara referência ao latin labor, "trabalho", mas acatou a sugestão de seu irmão e os chamou de roboti (plural). A palavra robô, derivada de robot/roboti (singular/plural) tem como raiz a palavra checa robota, a qual significa "trabalho forçado, servidão" e tem como uma de suas derivações a palavra rabu, que significa "escravo".

O termo robótica foi popularizado pelo escritor de ficção cientifica Isaac Asimov, no seu livro I, Robot, de 1950. Neste livro, Asimov criou as Leis da robótica, que, segundo ele, regeriam os robôs no futuro:

  • Um robô não pode ferir um ser humano ou, por ócio, permitir que um ser humano sofra algum mal.
  • Um robô deve obedecer às ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens contrariem a Primeira Lei.
  • Um robô deve proteger sua própria existência, desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e Segunda Leis.

Uma edição em português do livro de Asimov (*)


SPR - Sociedade Portuguesa de Robótica -


Robô no Congresso Mundial de Celulares em Barcelona, dia 01/03/2017


Aqui podem ver "Uma robô chamada Maria"



O elétrico: bonito meio de transporte



Alunos do 1º ano. Se alguma vez forem a Lisboa, devem apanhar um elétrico. É uma bonita maneira de conhecer a cidade, sobretudo o nº 28.

elétrico: substantivo. "veículo de transporte urbano de passageiros movido a eletricidade, sobre carris de ferro" (Infopédia)


Fotografia de António Dias




A palavra 'português' em português, por favor



Alunos do 1º ano (e do também!): a palavra português escreve-se com acento circunflexo, que indica vogal fechada. Acho que não vos peço muito: para começar, escrevam corretamente esta palavra e não da seguinte maneira: portugués. Não acham?



Dezasseis, dezassete, dezanove mas DEZOITO




mas



Reparem: Seis, sete e nove começam por consoante, e daí: dezasseis, dezassete, dezanove.

Mas oito começa por vogal, e daí: dezoito.



Uma menina japonesa e um peixe


Estamos em Wakayama, no Japão, em 1998 Wakayama. 1998. Aquário no Shira-Lama-Tore. Reparem como olha a menina para esse peixe tão grande... O que estaria a pensar?


Fotografia: © Elliott Erwitt/Magnum Photos.



sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Eu PERCO



Se fosse regular, a primeira pessoa do presente do verbo perder, seria "perdo", mas é irregular, eu perco, e devem aprender assim.

Porque sabemos que é irregular? Porque muda a raíz do infinitivo (perd-):

Eu perc


Regulares são as outras formas deste tempo. A raíz perd- não muda:


Tu perdes

Ele, ela perde

Nós perdemos

Vocês perdem

Eles, elas perdem








Presente do verbo HAVER: HÁ


Sem o acento e o agá, temos uma preposição (a), palavra átona e bem diferente. Não temos o verbo haver

Cuidado com ! O h provém do infinitivo haver, e o acento indica que é uma palavra tónica.










Cuidado! Falso amigo...

1. lugar vago ou não preenchido

4. (cargo, função) plaza, vacante
preencher uma vaga - cubrir una vacante




quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Cuidado com o til nasal! A palavra MANHÃ



Reparem: a palavra manha não é parte nenhuma do dia. Fica bem claro. É manhã, e para isso precisamos do til nasal como podem ver bem cá em baixo! A palavra é diferente, a pronúncia é diferente também, como é logico.

 
  Um ã bem grandezinho com o seu til

Algumas frases com esta palavra:

Hoje está uma bonita manhã.

Amanhã de manhã vou jogar futebol. 





E reparem: amanhã de manhã ("mañana por la mañana")






Isto é uma "balda" ou uma "prateleira"?



Vamos lá ver, alunos do 2º ano!

prateleira
1. Espécie de estante para colocar pratos.

2. Cada uma das tábuas horizontais e interiores, de uma estante, armário, etc.

3. Tábua horizontal aplicada a uma parede para nela se colocarem objectos.


balda
4. [Informal] Falta deliberada ao cumprimento de obrigação ou compromisso. = GAZETA

5. [Informal] O mesmo que baldas.


baldas
adjectivo de dois géneros e substantivo de dois géneros

1. [Informal] Que ou quem não cumpre as suas funções.

2. [Informal] Que ou quem é descuidado, desorganizado. = DESLEIXADO


baldar-se
verbo pronominal
1. coloquial faltar [a, a]
baldar-se às aulas - "hacer novillos"






quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Olha o Sol! (e a Terra também)



Podemos fazer aqui o que não podemos fazer na realidade: olhar para Sol, e bem pertinho...

Esta fotografia é composta por 25 imagens separadas da NASA's SDO, ao longo de um ano, de abril de 2012 a abril de 2013.

Para rever coisas que já sabem, e alguma que não, lemos na Wikipédia:


O Sol (do latim sol, solis) é a estrela central do Sistema Solar. Todos os outros corpos do Sistema Solar, como planetas, planetas anões, asteroides, cometas e poeira, bem como todos os satélites associados a estes corpos, giram ao seu redor. Responsável por 99,86% da massa do Sistema Solar, o Sol possui uma massa 332 900 vezes maior que a da Terra, e um volume 1 300 000 vezes maior que o do nosso planeta.

(Wikipédia)


(Fonte: NASA/SDO/Goddard)

 
A Bolinha Azul obtida durante a missão Apollo 17, em 1972.


A Terra é o terceiro planeta mais próximo do Sol, o mais denso e o quinto maior dos oito planetas do Sistema Solar.


(Texto e fotografia da Terra: Wikipédia)