Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A raposa e o galo



A RAPOSA E O GALO

Empoleirado numa árvore cantava o galo, quando passou perto a raposa.

–Grande novidade, compadre galo, gritou a raposa muito alegre.

–Que novidade?

–Baixou um decreto do governo que manda acabar a guerra entre os animais e estabelecer a paz geral. Estou contentíssima: desça, compadre, estou com desejo de o abraçar.

–Esse decreto de que fala é já sabido e conhecido por todos os animais? – perguntou o galo.

–É claro; nem a ignorância desculpa o não cumprimento da lei. Porque faz o compadre essa pergunta?

–Vejo vir do nascente alguns caçadores com muitos cães.

A raposa, mal foi informada da aproximação dos podengos, galgos e perdigueiros, pôs-se ao fresco.

Então o galo gritava–lhe:

–Mostre-lhes a lei, mostre-lhes a lei.


Notas de vocabulário

desça = baje — desejo = deseo — nascente = levante, este (ponto cardeal) — mal foi informada = en cuanto fue informada — pôs-se ao fresco = se puso a salvo — mostre-lhes = enséñeles.