Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

terça-feira, 7 de junho de 2011

Todos dependem da boca - Um conto africano

Uma menina de Angola (Fotografia de Anthony Asael)

Certo dia, a boca, com ar vaidoso, perguntou:

-Embora o corpo seja um só, qual é o órgão mais importante?

Os olhos responderam:

- O órgão mais importante somos nós: observamos o que se passa e vemos as coisas.

- Somos nós, porque ouvimos - disseram os ouvidos.

- Estão enganados. Nós é que somos mais importantes porque agarramos as coisas, disseram as mãos.

Mas o coração também tomou a palavra:

- Então e eu? Eu é que sou importante: faço funcionar todo o corpo!

- E eu trago em mim os alimentos! - interveio a barriga.

- Olha! Importante é aguentar todo o corpo como nós, as pernas, fazemos.

Estavam nisto quando a mulher trouxe a massa, chamando-os para comer. Então os olhos viram a massa, o coração emocionou-se, a barriga esperou ficar farta, os ouvidos escutavam, as mãos podiam tirar bocados, as pernas andaram... mas a boca recusou comer. E continuou a recusar.

Por isso, todos os outros órgãos começaram a ficar sem forças...

Então a boca voltou a perguntar:

- Afinal qual é o órgão mais importante no corpo?

- És tu boca, responderam todos em coro. Tu é o nosso rei!


Nota: todos nós somos importantes e, para viver, temos de aprender a colaborar uns com os outros...


Eu conto, tu contas, ele conta... Estórias africanas,
org. de Aldónio Gomes, 1999

(Retirado de Contos de encantar )