Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

terça-feira, 19 de abril de 2016

Resumo da visita dos alunos do 1º ano a Lisboa (e 2)


Cá temos algumas fotografias da última sala. Foi pena os alunos não se demorarem mais um pouco nela, mas já estavam cansados e com fome. Tinham-se levantado muito cedo. Aliás, lá estava a loja...


A Maria Mayoral a contar os remos desta embarcação real





Pelo atraso de que falei, não foi possível à saída do Museu visitarmos o Padrão dos Descobrimentos. Eram duas e dez (hora espanhola) e todos estávamos com fome mesmo. Havia lá um belo parque para os alunos almoçarem e o tempo tinha ficado tão bom!





Depois de almoço, faltava apanhar o cacilheiro na Estação do Cais do Sodré. No caminho para lá passámos de autocarro perto do Padrão, que ficou sem visitar, como já sabemos. Ai, que pena!





Chegámos ao Cais do Sodré apenas vinte minutos antes da partida para Cacilhas e era preciso comprar os bilhetes para 52 pessoas! Demorou um bocado, podem crer. E depois, cada um de nós devia validá-los. Entrámos no navio cinco minutos antes da partida… Foram uns dez minutos. A hora era ótima e havia uma bonita luz. Vimos a Ponte 25 de Abril do meio do Tejo, e a cidade a ficar para trás.




Cacilhas. Saída do cacilheiro Seixalense dos últimos alunos


Vista de Lisboa da margem sul. Reparem no Castelo de S. Jorge



Em Cacilhas esperava por nós o autocarro. Chegámos a Badajoz às 21 h., uma hora mais tarde da que tínhamos previsto. Mas estas coisas sempre acontecem. A viagem de ida e a de volta decorreram sem nenhuma novidade. Muito bem, amigo motorista!


Fotografia tirada do autocarro. A sair de Cacilhas