Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 13 de março de 2015

Tinta verde (Vitorino)




TINTA VERDE

Tinta verde dos teus olhos
Escreve torto no meu peito,
Amores tenho eu aos molhos
Se pró teu me faltar jeito.

No meu peito escreve torto,
Na minha alma a dar a dar,
Nunca mais eu chego ao Porto
Se lá fôr por este andar.

Nunca mais eu chego ao Porto,
Ao porto de Matosinhos,
Adeus verde dos teus olhos,
Estão cá outros mais escurinhos.

Vitorino