Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Rimancinho (Cristovam Pavia)



RIMANCINHO

Calmamente nos teus olhos
Me afoguei, a descansar...
Passou o tempo silvando,
Passaram frotas de nuvens,
Sem vestígios se encontrar...
Isto foi há muitos anos,
Desistiram de buscar...
Nas ondas quebrando, claras,
Nem as águas adivinham
A eterna sombra e a paz
Das funduras do meu mar...

Cristovam Pavia



(Fotografia de Anna Carvalho)