Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Resumo da nossa visita a Castelo Branco



Primeiro dia: Terça-feira, 2 de abril

Castelo Branco fica a cerca de cento e cinquenta km de Badajoz. É uma viagem agradável de fazer. Saímos de Badajoz, às dez para as nove e chegámos, a Castelo Branco, às vinte para as onze, hora espanhola. Ali acertamos os nossos relógios com a hora portuguesa: menos uma hora, como nas Ilhas Canárias.

Fomos recebidos na Biblioteca da EBI João Roiz pelo Dr. Carlos Almeida, o Diretor, e outros colegas da direção, assim como pela professora de Espanhol, Helena Almeida. Após umas amáveis palavras do Dr. Carlos Almeida, a professora de Geografia, Alda Braçal, leu dois poemas sobre o nosso Planeta e sobre a reciclagem, que já foram publicados aqui, no passado dia 10. Em seguida, o grupo musical “Trovarolas” constituído por professores da escola e uma funcionária, ofereceu-nos uma amostra de canções tradicionais portuguesas.



E houve um lanche para repormos forças, antes de continuar a receção.

De seguida, a professora Helena Almeida leu-nos um pequeno conto do escritor angolano, José Eduardo Agualusa, e depois uma breve antologia de poesia em português e em espanhol, que os alunos puderam seguir projetados num ecrã. Uma das nossas alunas do 2º ano a Fátima, leu um dos poemas em português.


Finalmente, os nossos alunos puderam conhecer pessoalmente os parceiros portugueses, que já conheciam através dos e-mails que haviam trocado, na semana anterior. No primeiro dia, alunos portugueses e espanhóis almoçaram todos na cantina da Escola.



Primeiro contacto de alunos espanhóis e portugueses na Biblioteca

A primeira atividade cultural do intercâmbio foi uma visita ao Museu Cargaleiro e aconteceu logo após o almoço. Manuel Cargaleiro é um pintor e ceramista português que nasceu no concelho de Vila Velha de Rodão, muito perto de Castelo Branco. No fim da visita, todos os alunos pintaram, conforme a inspiração pessoal, um azulejo, que os espanhóis poderão ver no mês de maio. Ali ficaram a secar.




A arte da Fátima



Fim da visita ao Museu Cargaleiro


Segundo dia: Quarta-feira, 3 de abril

Os alunos espanhóis assitiram a uma aula com os parceiros portugueses. Depois, sob chuva forte, fomos de autocarro até ao centro da cidade, para vermos, no Cybercentro, uma exposição intitulada "Era uma vez a informática". Uma fotógrafa da instituição fez uma reportagem da nossa visita, que passou pouco depois para a página do Cybercentro no Facebook. A visita permitiu-nos viajar no tempo, dando-nos conta da evolução da informática até aos nossos dias. Acho que o melhor para todos os alunos, portugueses e espanhóis, foi o segundo andar do edifício, onde puderam aproveitar uns momentos de lazer com diferentes tablets e playstations, exemplos das tecnologias atuais, com as quais estão familiarizados!





Imagem intercalada 1



À tarde, os alunos participaram nos diferentes clubes da Escola e realizaram algumas atividades desportivas. Foi pena a chuva que caiu nesse dia.

Pátio da Escola desde um dos pavilhões de aulas.


Terceiro dia: Quinta-feira, 4 de abril

E chegou o último dia, os professores chegaram a pensar num plano B pois durante a noite, continuou a chover. De manhã, o céu ainda estava cinzento e caíam alguns pingos de água. Seria possível cumprir com o previsto no programa? Afinal foi, e tivemos sorte. Primeiro uma boa caminhada, através da zona antiga, apreciando as portas quinhentistas, depois a chegada ao Castelo, no cimo da cidade. Já na descida, uma visita ao maravilhoso Jardim do Paço Episcopal e ao Parque da cidade.





Reconhecem a Escola vista do Castelo?


No Jardim do Paço Episcopal




Durou pouco, não foi?, mas valeu a pena, acho eu, e a julgar também pelas palavras dos alunos e dos parceiros. É verdade que, três dias foi pouco, mas foram as instâncias que nos impuseram esta duração.

Agora, estamos à espera da visita dos alunos e professoras da EBI João Roiz, que terá lugar nos dias 8, 9 e 10 de maio.

Obrigado por tudo, amigos de Castelo Branco!