Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Uma história de Natal



Uma história de Natal

Era uma vez um cão chamado Tejo, uma cadela chamada Laica e um coelho chamado Orelhas. Eles foram com o seu dono buscar uma árvore porque o Natal estava próximo. O dono andava a escolher uma árvore e o Tejo e a Laica começaram a sentir qualquer coisa. O Orelhas depois de alguns saltos juntou-se a eles e perguntou:

- O que estão a farejar? – quis saber o Orelhas.

Foram andando mais para a frente e viram uma corça e o Orelhas perguntou-lhe:

- Também gostas de brincar na neve?

E a corça respondeu:

- Não, nós corças não gostamos de muita neve porque passamos fome e muito frio.

E a Laica perguntou-lhe:

- Então porque estás aqui?

-Porque estou ferida na perna e não consigo andar.

O Orelhas, o Tejo e a Laica decidiram levar a corça. Quando chegaram a casa abrigaram a corça numa cabana. O Tejo e a Laica foram buscar feno e o Orelhas ficou a fazer companhia à corça. A corça disse para o Orelhas:

- Muito obrigado!

O Orelhas disse:

- Não tens nada que me agradecer.

Passados dois ou três dias o dono dos animais e a sua mulher (que se chamavam senhora Maria e senhor Joaquim) viram o Orelhas, o Tejo e a Laica a levar palha para a cabana. Disse o senhor Joaquim para a senhora Maria:

- Vamos ver o que andam a tramar.

Quando o senhor Joaquim e a senhora Maria entraram na cabana ficaram de boca aberta. Os animais ficaram assustados e com medo que os donos reagissem mal.

- Agora percebo. – disse o senhor Joaquim – A corça estava com frio e estava ferida e vós trouxeste-la para aqui. Fizeram muito bem.

O senhor Joaquim e a senhora Maria ficaram com a corça. Nesse dia era a véspera de Natal. O Tejo, a Laica, o Orelhas e a corça andaram a brincar. À noite, quando era meia-noite , o Pai Natal foi meter as prendas na lareira ao pé da árvore de Natal.

No dia a seguir era Natal e quando o Tejo, a Laica, o Orelhas e a corça acordaram, foram à lareira e viram uma prenda para cada um. A Laica teve uma coleira nova, o Tejo recebeu um osso de brincar, o Orelhas recebeu cinco cenouras e a corça recebeu uns donos que eram o senhor Joaquim e a senhora Maria.

Cristiana Guilherme Marques,  9 anos (4º ano)


(Retirado de aqui)