Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Dá-me cá os braços teus (Vitorino)



O cantor alentejano Vitorino, velho amigo do nosso blogue, volta mais uma vez com esta linda canção. Vitorino conta com a ajuda de um coro de crianças que canta o refrão (cuidado, "estribillo"): "Se tu és o meu amor, / Dá-me cá os braços teus..."

Mais uma coisa, reparem na pronúncia da palavra amor. O que se passa com ela? Quem é que me vai dizer? Ouvido atento, meninos e meninas!



DÁ-ME CÁ OS BRAÇOS TEUS 

Se tu és o meu amor
Dá-me cá os teus braços teus
Se não és o meu amor
Vai-te embora adeus, adeus

Diz o sol que alumia a gente
Por onde andará o meu bem
Terra estranha nunca foi quente
Quem me dera estar mais além

Mais além mais ao pé do monte
Onde nasce o rosmaninho
Muito padece quem está longe
Já me cansa de estar sozinho

Vendo a força do meu trabalho
Ruim paga me dão aqui
Vou-me embora sempre mais valho
Lá na terra onde nasci

Lá na terra onde nasci
Os campos são de toda a gente
Não há donos nem capatazes
Vou-me embora e vou contente



Rosmaninho




Sem comentários: