Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Irmãos Lumière (1895)



Vejam lá como mudam as coisas quando são totalmente novas. Hoje vocês podem rir, mas se tivessem estado no ano de 1896 nesse cinema, teriam sentido o mesmo, claro: surpresa e medo, e talvez teriam saído do cinema a correr...


O Cinema nasceu há mais de cem anos. De facto, foi em 1895 que tudo começou. Parece então lógico, coerente e apaixonante mergulhar na sua história, tentando descortinar o princípio de uma invenção que rapidamente se tornou numa arte. Para isso é necessário dar a conhecer os irmãos franceses Louis e Auguste Lumière. Com respectivamente 31 e 29 anos de idade, registaram a 13 de Fevereiro de 1895 o invento da Cinématographe, um aparelho que permitia filmar, revelar e projectar filmes. Inspirado em invenções anteriores como a Lanterna Mágica, era claramente superior.


A técnica


De acordo com as experiências da época, verificou-se que mostrando várias imagens em sucessão rápida, o olho, por inércia, acabava por captá-las como uma só, mas de conteúdo movimentado. O fenómeno da projecção na câmara escura, através de uma película, permitia alcançar diversas imagens por segundo. Além disso, inventou-se um mecanismo para fazer avançar o filme sempre que se obtinha uma fotografia, enquanto se obstruía a entrada da luz, gerando um diafragma. Depois de revelado o filme, as imagens eram iluminadas por trás, por meio de um aparelho semelhante, e reproduzidas numa tela em ritmo sincronizado. Na projecção, a imagem invertida endireitava-se de novo. Realizava-se, assim, uma aspiração de vinte mil anos: poder contemplar uma imagem viva em movimento. (...)

Em 1896, os Lumière juntam L’Arrivée d’un Train em Gare de la Ciotat ao seu programa. Este filme ficou célebre, por causa do pânico que gerava nos espectadores, que pensavam que o comboio vinha atropelá-los.


(Fonte do texto)