Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Emergência (Mário Quintana)


Fotografia de Tereza Duarte



EMERGÊNCIA

Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
– para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

Mário Quintana