Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 2 de março de 2012

Meninos do sertão (Zé Ramalho)



Um grande cantor brasileiro, Zé Ramalho. É pena ele não ser mais conhecido. Será que gostam desta canção? Eu sei que o ritmo é tranquilo, digamos assim, mas é bonita, não é? A próxima canção que publicar será mais mexida, percebem? Não se preocupem se não compreendem o vocabulário todo.

Só queria que soubessem que o sertão é uma região enorme muito árida do nordeste do Brasil, onde a vida é muito, muito dura.


MENINOS DO SERTÃO

Quando me lembro dos meninos do sertão
Olho pro céu e vejo eu entre os pardais
Catando estrelas, desenhando a solidão
Ouvindo histórias de fuzis e generais
Lembrando rezas que aprendi no juazeiro
Que um violeiro me ensinou numa canção
Bebendo sonhos, era assim o meu destino
Mais um menino na poeira do sertão

Quando me lembro dos meninos do sertão
Beijando flores, era eu em meu jardim
Qual borboletas, bailarinas de quintais
E um arco-íris de esperança só pra mim
E a liberdade feito um pássaro de seda
Voava alto nos meus planos de menino
Nas travessuras imitava os meus heróis
Luiz gonzaga, lampião e vitalino

Quando me lembro dos meninos do sertão
Vejo Hiroshima nos olhares infantis
Vejo a essência da desigualdade humana
Num verdadeiro calabouço dos guris
Meu coração bate calado enquanto choro
A deus imploro mais carinho e atenção
Tirai a canga do pescoço dessa gente
Que só precisa de amor, trabalho e pão

Adeus, carro de boi
Adeus, pau-de-arara
No ano 2000 que mal virá?
Cola, carandiru, candelária
Quando isso vai passar?
Será que será, que será sempre assim?
Será que assim sempre será?