Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 31 de março de 2017

O Porto aqui tão perto (Sérgio Godinho)



O amigo Sérgio Godinho canta para nós esta canção, O Porto aqui tão perto. Reparem como faz um trocadilho com o nome da cidade do Porto e o advérbio perto, que todos sabem o que significa, não sabem?

É claro que uma canção como esta só se escreve tendo nascido no Porto, não é? Sérgio Godinho é portuense.


O PORTO AQUI TÃO PERTO

Vá comboio meu comboio
carrega na velocidade
pára só quando chegarmos
à cidade

Olá cidade do Porto
a lágrima ao canto do olho
estava fechada há que tempos
com um ferrolho

Custou tanto a chegar
mil e uma peripécias
quando menos se espera
o diabo tece-as

Ai eu estive quase morto
no deserto
e o Porto
aqui tão perto

Mal chegado vislumbrei
dois amigos do alheio
vasculhando a minha caixa
do correio

Ah tratantes apanhei-vos
com a boca na botija
com certeza não esperam
que eu transija

Não é nada do que pensas
viemos trazer-te um recado
que nos foi entregue
por um embuçado

Ai eu estive quase morto ...

Dizia assim o recado
no Palácio há variedades
se lá fores verás que vais
matar saudades

Eu matar não gosto muito
mas saudades é diferente
é como matar pulgas
alivia a gente

Cheguei lá e deparei
com uma mulher embuçada
intimei-a Pára lá
com essa tourada

Ai eu estive quase morto ...

Desembuça-mos vá lá
e já agora desembucha
com esse capuz mais pareces
uma bruxa

Diz-me o que fazes aqui
canto ali com as atracções
no conjunto do "Godinho
e os seus Godões"

Já te topo há quanto tempo
te não punha a vista em cima
diz-me lá se és ou não és
a Etelvina

Ai eu estive quase morto ...

Sou a Etelvina sim senhor
não me digas Etelvina
que andas assim por andares
clandestina

Clandestina? Não estás bom
Eu fugida? nem se pense
Este fato é só para aumentar
o suspense

Sou cantora no conjunto
e aparecemos embuçados
e ficam os espectadores
arrepiados

Ai eu estive quase morto ...

Mas na vida é bem diferente
ando de cara descoberta
com a cabeça e os sentidos
bem alerta

Já vi tantas injustiças
falo de dentro de mim
e o que me sai cá de dentro
sai-me assim:

Faço música pró povo
e tu retribois
e tu me inspiras sustenidos
e bemóis

Ai eu estive quase morto ...

E eu que também faço o mesmo
com o povo que me dá
gratuito o dó-ré-mi
e mais o lá

Lá fiquei a noite toda
numa de improvisação
a regenerar o corpo
e o coração


Ai eu estive quase morto ...