Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Voltamos com o poeta Eugénio de Andrade

A cidade do Porto no inverno*

Infelizmente, meninos e meninas, as férias de Natal terminaram. Temos pela frente a continuação do ano letivo. Toca a trabalhar de novo. Leram alguma coisa nestas semanas?

Dou-vos as boas-vindas com este poema do poeta português Eugénio de Andrade, que morreu no Porto a 13 de junho de 2005.


INVERNO

Velho, velho, velho
Chegou o Inverno.

Vem de sobretudo,
Vem de cachecol,

O chão onde passa
Parece um lençol.

Esqueceu as luvas
Perto do fogão:

Quando as procurou,
Roubara-as um cão.

Com medo do frio
Encosta-se a nós:

Dai-lhe café quente
Senão perde a voz.

Velho, velho, velho.
Chegou o Inverno.

Eugénio de Andrade


(Aquela nuvem e outras)