Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Uns meninos cabo-verdianos



De Cabo Verde, arquipélago africano, e onde vocês poderiam falar com a gente em português, são estes dois meninos e a menina da fotografia de Lara Butuzova.

Reparem: cabo-verdianos. Dentro de pouco tempo estudaremos as nacionalidades em português. É assim que se chamam os nascidos neste país africano, Cabo Verde: cabo-verdianos.






Cliquem no link, "Dança ma mi criola", e poderão ouvir uma canção do músico cabo-verdiano Tito Paris.



quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Cinquenta anos da Ponte 25 de Abril



É uma notícia atrasada, de julho, mas cá está para que vocês saibam que a Ponte 25 de Abril (antiga Ponte Salazar) foi inaugurada a 6 de agosto de 1966. Tem, pois, cinquenta anos.

Almada celebra meio século de Ponte 25 de Abril em veleiros e fragata

Liliana Borges
25/07/2016

Quatro embarcações vão ser o palco das celebrações dos 50 anos da Ponte 25 de Abril, em Cacilhas, Almada. De 4 a 6 de Agosto, a zona junto ao terminal fluvial de Cacilhas festeja a união das duas margens com música e fogo-de-artifício.

V. diário Público 


Diário Público









(As três últimas fotografias foram retiradas de Fora da Rota.)



Cliquem neste linke, vão gostar: "Ver Lisboa do cimo da Ponte 25 de Abril"




sexta-feira, 23 de setembro de 2016

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Linha e ponto (António Torrado)



Umas "palavras andarilhas" de António Torrado, de quem nos diz a Wikipédia, entre outras coisas, o seguinte:

"... um dos autores mais importantes na literatura infantil portuguesa, possui uma obra bastante extensa e diversificada, que integra textos de raiz popular e tradicional, mas também poesia e sobretudo contos. Reconhece a importância fundamental da literatura infantil enquanto veículo de mensagens, elegendo como valores a promover a liberdade de expressão e o respeito pela diferença. António Torrado utiliza com frequência o humor em algumas das suas histórias."



Dedico esta mensagem à minha colega de Matemática, Maite.



quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Velas e eletricidade



Li isto num blogue de que não me lembro. São coisas que acontecem. Espero que gostem.

Hoje tenho uma historia para vocês se rirem uma beca...

Estavam, há alguns anos para trás, a minha mãe, a minha avó, a minha tia, a vizinha e mais umas quantas pessoas a jantar...

A luz foi-se e não tiveram outra solução senão acender velas para poder jantar! Acabando o jantar começaram a jogar as cartas. Como isto se está a passar no verão estava calor, e com as velas acesas ainda aquecia mais o ambiente... Pois alguém teve a brilhante ideia de querer ligar a ventoinha!!! Mas a minha avó disse que era melhor não o fazer porque se não as velas apagavam-se!!!!!!! Todos concordaram e continuaram a jogar as cartas. Ai a minha tia parte-se a rir, às mil gargalhadas e ninguém sabe porque. Então ela teve de explicar a barbaridade que todos tinham acabado de dizer...

Ora para os que ficaram à nora: As ventoinhas costumam funcionar com electricidade... e se estavam a jogar às cartas com a luz das velas é porque não havia electricidade, nem para ventoinha nem nada...



Bem-vindos com a Ana Moura




Bem-vindos todos, meninas e meninos, a mais um ano letivo: o segundo para os mais veteranos de 2º ano, mas uma novidade pela mudança para aqueles que chegam pela primeira vez ao "Instituto", a escola secundária, como dizem em português.


A SAIA DA CAROLINA

A saia da Carolina
tem um lagarto pintado;
sim Carolina ó - i - ó - ai,
sim Carolina ó - ai meu bem.

A saia da Carolina
não tem prega, nem botão;
tem cautela, ó Carolina
não te caia a saia ao chão

A saia da Carolina tem
uma barra encarnada;
tem cuidado ó Carolina,
não fique a saia rasgada.

A saia da Carolina
foi lavada com sabão,
tem cuidado, ó Carolina,
não lhes deixes pôr a mão.

A saia da Carolina
tem um lagarto pintado;
sim Carolina ó - i - ó - ai
sim Carolina ó - ai meu bem.

Ana Moura





Primeiro dia de escola



É assim que se intitula esta fotografia em alemão: Erster Schultag. Lá vamos nós também no nosso primeiro dia de escola, de aulas...

A seguir, um bocado de música para vos receber.