Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Portugal administrativo




"...Um desses mapas, o do Portugal Administrativo, retirado de um dos meus antigos livros escolares, com a indicação das províncias, as capitais de distrito, os rios, as serras e os caminhos de ferro."

(Blogue Santa Nostalgia)







quarta-feira, 29 de abril de 2015

Lá lá lá...!



Vejam como está contente esta jovem. Não a podemos ouvir, é claro, mas podemos imaginá-la a cantarolar, ou a assobiar.






terça-feira, 28 de abril de 2015

Obrigado!




Não me lembro de onde é que achei isto. Esta é a palavra preferida de alguém cuja língua materna é o inglês: obrigado. Qual é a vossa?


My favorite word in Portuguese is "Obrigado" because it just flows so nicely off the tongue. Portuguese is such a beautiful language because the words just flow so smoothly and sound flowery. Even though "obrigado" only means "thanks" in English, I still just love how beautiful it sounds. 


 E já sabem, como depende de quem agradeça, diz-se obrigado ou obrigada.






segunda-feira, 27 de abril de 2015

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Um conto moçambicano: O Rato e o Caçador

Moçambique (Fotografia de João Correia Filho)


O Rato e o Caçador

Antigamente havia um caçador que usava armadilhas, abrindo covas no chão. Ele tinha uma mulher que era cega e fizera com ela três filhos.
Um dia, quando visitava as suas armadilhas, encontrou-se com um leão:
- Bom dia, senhor! Que fazes por aqui no meu território? (perguntou o leão)
- Ando a ver se as minhas armadilhas apanharam alguma coisa, respondeu o homem.
- Tu tens de pagar um tributo, pois esta região pertence-me. O primeiro animal que apanhares é teu e o segundo meu e assim sucessivamente.
O homem concordou e convidou o leão a visitar as armadilhas, uma das quais tinha uma presa __ uma gazela. Conforme o combinado, o animal ficou para o dono das armadilhas.
Passado algum tempo, o caçador foi visitar os seus familiares e não voltou no mesmo dia. A mulher, necessitando de carne, resolveu ir ver se alguma das armadilhas tinha presa. Ao tentar encontrar as armadilhas, caiu numa delas com a criança que trazia ao colo.
O leão que estava à espreita entre os arbustos, viu que a presa era uma pessoa e ficou à espera que o caçador viesse para este lhe entregar o animal, conforme o contrato.
No dia seguinte, o homem chegou a sua casa e não encontrou nem a mulher nem o filho mais novo. Resolveu, então, seguir as pegadas que a sua mulher tinha deixado, que o guiaram até à zona das armadilhas. Quando aí chegou, viu que a presa do dia era a sua mulher e o filho. O leão, lá de longe, exclamou ao ver o homem a aproximar-se:
- Bom dia amigo! Hoje é a minha vez! A armadilha apanhou dois animais ao mesmo tempo. Já tenho os dentes afiados para os comer!
- Amigo leão, conversemos sentados. A presa é a minha mulher e o meu filho.
- Não quero saber de nada. Hoje a caçada é minha, como rei da selva e conforme o combinado, protestou o leão.
De súbito, apareceu o rato.
- Bom dia titios! O que se passa?, disse o pequeno animal.
- Este homem está a recusar-se a pagar o seu tributo em carne, segundo o combinado.
- Titio, se concordaram assim, porque não cumpres? Pode ser a tua mulher ou o teu filho, mas deves entregá-los. Deixa isso e vai-te embora, disse o rato ao homem.
Muito contrariado, o caçador retirou-se do local da conversa, ficando o rato, a mulher, o filho e o leão.
- Ouve, tio leão, nós já convencemos o homem a dar-te as presas. Agora deves-me explicar como é que a mulher foi apanhada. Temos que experimentar como é que esta mulher caiu na armadilha (e levou o leão para perto de outra armadilha).
Ao fazer a experiência, o leão caiu na armadilha.
Então, o rato salvou a mulher e o filho, mandando-os para casa.
A mulher, vendo-se salva de perigo, convidou o rato a ir viver para a sua casa, comendo tudo o que ela e a sua família comiam.

Foi a partir daqui que o rato passou a viver em casa do homem, roendo tudo quanto existe...





Livros a voarem livres no Dia do Livro



Estes livros a voarem livres estão a anunciar que hoje, 23 de abril,  naturalmente, é o Dia Mundial do Livro. Deve-se ler, claro, mas não só neste dia: em qualquer um. Qualquer dia é bom para pegar num livro e continuar até ao fim das suas páginas para descobrir coisas que nem sequer imaginávamos...

Ler faz bem à saúde!

Como o dia de hoje vamos dedicá-lo em parte ao 25 de Abril, que calha em sábado, falaremos disto e leremos um conto moçambicano no próximo dia.







O capitão dos tanques (Vitorino)



Há um disco intitulado Abril, Abrilzinho, que os cantores Manuel Freire, Vitorino e José Jorge Letria fizeram para explicar aos mais novos o que foi o 25 de Abril para Portugal ("para os mais novos, mas também para os que foram contemporâneos dos seus autores").

Vitorino canta aqui a figura de Fernando Salgueiro Maia, o capitão sem medo. Sendo este movimento do 25 de Abril, que trouxe a democracia a Portugal, algo feito entre muitas pessoas, é possível que sem o valor e o sangue frio deste grande capitão, não tivesse triunfado.

Viva Salgueiro Maia!



O CAPITÃO DOS TANQUES

Era uma vez um homem
Que andou a fazer a guerra
Mas quis plantar cravos
Nos jardins da nossa terra.

Militar de poucas falas
Sabia bem o que queria,
Cansado de tantas mortes
Na guerra que então havia.

Era capitão dos tanques
Que o inimigo temia,
Mas nos seus canos pôs cravos
Com pétalas de poesia.

Um dia de madrugada
Bateu forte o coração
Porque era chegada a hora
De vir destronar o Papão.

Para trás ficou Santarém
Na noite fresca de Abril
E os homens que o seguiam
Valiam por mais de mil.

E foi no Largo do Carmo
Que, valente, ergueu a voz
Para dizer ao Papão:
'Agora mandamos nós'

E nunca pediu nada em troca
Dessa linda valentia
Um título ou um posto
Pois lhe bastava a alegria

Foi-se embora antes do tempo
Quando a doença o levou
Regando só com as lágrimas
Os cravos que então plantou

Era o Salgueiro Maia
Capitão do nosso Abril,
Pondo fim a velhos medos
Numa noite primaveril.

Se um menino perguntar:
'Este soldado quem foi?'
Respondemos-lhe a cantar:
'Maia foi o nosso herói.'

Vitorino


O capitão Salgueiro Maia no dia 25 de abril de 1974 (Foto de Alfredo Cunha)





Grândola, vila morena (José Afonso)



A Revolução do 25 de Abril está ligada para sempre, meninos e meninas, a esta canção: Grândola, vila morena, de José Afonso. Foi a senha para seguir em frente e acabar de vez com a ditadura que vigorava em Portugal em 1974.



GRÂNDOLA, VILA MORENA

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade1
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade

Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade







Dia da Liberdade: 25 de Abril




Dia da Liberdade (25 de Abril)

Feriado

O Dia da Liberdade é comemorado em Portugal a 25 de abril.

A data celebra a revolta dos militares que a 25 de abril de 1974 levaram a cabo um golpe de Estado militar, pondo fim ao regime ditatorial do Estado Novo, liderado por António de Oliveira Salazar, que governava Portugal desde 1933.

O Movimento das Forças Armadas, composto por militares que haviam participado na Guerra Colonial e por estudantes universitários teve o apoio da população portuguesa, conseguindo a implantação do regime democrático e a instauração da nova Constituição Portuguesa a 25 de abril de 1976 de forma pacífica. O símbolo do dia 25 de abril é o cravo, a flor que se colocou nas armas dos militares neste dia.

Após a revolução foi criada a Junta de Salvação Nacional que nomeou António de Spínola como Presidente da República e Adelino da Palma Carlos como Primeiro-Ministro.

Os dois anos seguintes foram de grande agitação social, período que ficou conhecido por PREC (Processo Revolucionário em Curso).

Desta forma o dia 25 de abril é conhecido como o Dia da Liberdade em Portugal e o dia da Revolução dos Cravos.


(calendarr)


 





terça-feira, 21 de abril de 2015

O Bairro Alto de Lisboa



A seguir, para ficarem a saber onde fica o Bairro Alto de Lisboa, e um  pouco da sua história, de como é que é, vamos ler esta mensagem que foi publicada no blogue dos vossos colegas mais velhos a 15 de dezembro de 2013: "Bairro Alto: 500 anos de existência"

* * *

Estes são os primeiros parágrafos de um artigo publicado em Café Portugal.


Bairro Alto - O «postal» de todas as classes sociais comemora 500 anos


O Bairro Alto, em Lisboa, foi construído há 500 anos para dar resposta ao rápido e acentuado crescimento populacional de Lisboa e ficou na História como a primeira grande urbanização da cidade. A 15 de Dezembro, comemora-se o aniversário que marca os cinco séculos de existência do Bairro. Este, nos dias de hoje, mantém a sua feição de sempre: casas humildes ao lado de palacetes. A colina lisboeta continua a ser um «postal» de todas as classes, defende a arquitecta Fabiana Pavel.

O «Bairro», como todos lhe chamam, comemora a 15 de Dezembro, 500 anos de existência, contados da primeira data conhecida do seu aforamento. É hoje, tal como no século XVI, «extremamente heterogéneo, do ponto de vista populacional e arquitectónico», explica a arquitecta Fabiana Pavel, doutoranda em Reabilitação Urbana pela Universidade Técnica de Lisboa, e com uma tese sobre o bairro.

(...)

Fabiana Pavel afirma que o Bairro se trata «da primeira grande urbanização da cidade, porque se construiu de uma vez, de acordo com regras estabelecidas, e se desenvolveu muito rapidamente, numa malha ortogonal, que se mantém como um marco na planta da cidade» (...)



As fotografias, de cima para baixo, são da autoria de Howard Stanbury, Giuseppe Pascale, Mário Silva, J. A. S. de Souza, xpgomes9, Teresa Teixeira e U.N.1.

















segunda-feira, 20 de abril de 2015

Cabelo espetado



Vimos que se dizia de um dos rapazes do nosso livro de português que tinha o cabelo "todo espetado". Lembram-se?

O que significa este adjetivo no que diz respeito ao cabelo? Já aprenderam o significado, mas cá está a definição da Infopédia:


espetado
3. diz-se do cabelo virado para cima 



Cabelo espetado e platinado




Lembramo-nos disto? MAS (sem acento!!!)





Já vimos isto aqui há algum tempo: "Cuidado: MAS e MAIS"





sexta-feira, 17 de abril de 2015

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Dois cachorros de guepardo.



Vejam estes dois cachorros de guepardo em África. Não são fofinhos? Para o significado desta palavra, ver "O que é fofo?" e "Sou fofinho".


A fotografia é de Peter Beard.




quarta-feira, 15 de abril de 2015

Uma pintura de Malevich (animada!)



Kazimir Malevich (em russo: Казимир Северинович Малевич , Kiev, 1878 – São Petersburgo, 1935) foi um pintor abstrato russo. Fez parte da vanguarda russa e foi o mentor do movimento conhecido como Suprematismo.

Vejam o quadro "parado" em baixo.






terça-feira, 14 de abril de 2015

Mais cores



Lembram-se todos dos nomes das cores? Não se esqueçam de que a palavra cor é feminina em português:

a cor / as cores

uma cor / umas cores







segunda-feira, 13 de abril de 2015

Vamos andar de bicicleta?



O que estas meninas estão a fazer, diz-se desta maneira em português: andar de bicicleta


E de certeza que todos vocês já ouviram falar de Albert Einstein, o grande cientista alemão que descobriu a Teoria da Relatividade. Uma das suas frases favoritas era esta:

 "Viver é como andar de bicicleta: É preciso estar em constante movimento para manter o equilíbrio."





sexta-feira, 10 de abril de 2015

De manhã preferes leite ou cacau?



Reparem nas palavras (uma preposição e uma contração) que temos à frente dos substantivos manhã, tarde e noite. Cuidado com o espanhol!

de manhã

Aos sábados de manhã jogo futebol.


à tarde 

Às sextas à tarde saio com os meus amigos.


à noite

Esse filme passa  hoje  à noite no segundo canal.




quinta-feira, 9 de abril de 2015

As estações: Primavera, verão, outono, inverno



A primavera chegou há pouco, e depois vêm o verão, o outono e o inverno, e mais uma vez, primavera... É o ciclo das estações do ano. Os alunos do 1º ano já conhecem este vocabulário, não é verdade?












(Fotografias de Robert Grant, tiradas na freguesia de Degracias, em Soure)




terça-feira, 7 de abril de 2015

Uma bela trovoada



No domingo passado houve uma boa trovoada sobre a nossa cidade. Muitos raios, muitos trovões e muita chuva, não foi? Mas não durou muito.




A Torre Eiffel faz 126 anos



A Torre Eiffel foi inaugurada a 31 de março de 1889 (há 126 anos). É por isso que a temos hoje connosco.


A Torre Eiffel é uma torre treliça de ferro do século XIX localizada no Champ de Mars, em Paris, que se tornou um ícone mundial da França e uma das estruturas mais reconhecidas no mundo. (...) Nomeada em homenagem ao seu projetista, o engenheiro Gustave Eiffel, foi construída como o arco de entrada da Exposição Universal de 1889.

A torre possui 324 metros de altura. Foi a estrutura mais alta do mundo desde a sua conclusão até 1930, quando perdeu o posto para o Chrysler Building, em Nova York, Estados Unidos. Não incluindo as antenas de transmissão, a Torre é a segunda estrutura mais alta da França, atrás apenas do Viaduto de Millau, concluído em 2004.

(Wikipédia)





Caricatura de Gustave Eiffel comparando o tamanho
da sua torre ao das Pirâmides do Egito.





1º de abril é o Dia das Mentiras



Nós temos o dia 28 de dezembro para pregar partidas, mas em Portugal, no Brasil e em muitos outros países é o primeiro dia de abril.

Este ano o 1º de abril calhou nas férias da Páscoa.


Leiam isto aqui, por favor.

**************************

Tradição do Dia das Mentiras

Dia de partidas e de mentiras inofensivas, o Dia das Mentiras, a 1 de Abril, é aproveitado por órgãos de comunicação para publicar notícias falsas, para efeito cómico. É tradição organizar partidas ou contar mentiras a amigos, familiares e colegas de trabalho, com o objectivo de propagarem informação falsa ou comportarem-se de determinada forma.

Por se esquecerem que o dia 1 de abril é o Dia das Mentiras, muitas pessoas acabam por acreditar em histórias que pouco ou nada têm de verídico. A internet provou ser a ferramenta ideal para propagar a tradição das mentiras no dia 1 de Abril e as redes sociais são veículos preferenciais para difundir mentiras.

Eis algumas das mais famosas partidas do Dia das Mentiras:

  • Em 1957 a BBC emitiu uma peça jornalística sobre uma árvore que produzia spaghetti, na Suíça;
  • Em 1976, Patrick Moore, astrónomo, anunciou que um alinhamento gravitacional entre Plutão e Júpiter às 9h47 reduziria a gravidade terrestre e seria possível flutuar;
  • A rede de restaurantes fast-food Burger King publicou em 1998 um anúncio a promover um novo "hambúrguer para canhotos";
  • O diário britânico The Independent anunciou em 2011 que Portugal havia vendido Cristiano Ronaldo a Espanha por 160 milhões de euros.

online24 - 1 de abril, Dia das Mentiras