Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A canção das letras



A canção das letras para que todos pratiquem os nomes das letras e aprendam algumas palavras em português.

De certeza, já conhecem algumas. É claro que esta mensagem vai para os alunos das turmas do 1º ano.


 

Um osso e um urso

Um cãozinho com um osso enorme


Um urso


Lembram-se? Mais um "falso amigo". No outro dia surgiu a palavra osso na sala de aula. Vimos qual era o significado dela. Cá está para que ninguém esqueça, e a palavra urso também, claro. 


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Onde fica Castelo Branco?



Um grupo de alunos de 2º e de 3º da ESO da nossa Escola, o IES M. Domingo Cáceres de Badajoz,  vai fazer um intercâmbio escolar no mês de Abril com a EBI João Roiz de Castelo Branco. Vamos começar por saber onde é que fica esta cidade portuguesa. Muito perto da Extremadura, como podem ver.

Castelo Branco é a capital do Distrito de Castelo Branco, situada na região Centro (Beira Baixa) e subregião da Beira Interior Sul, com cerca de 30 649 habitantes.

É sede de um dos maiores municípios portugueses, com 1 438,16 km² de área e 53 909 habitantes (dados de 2008), subdividido em 25 freguesias. O município é limitado a norte pelo município do Fundão, a leste por Idanha-a-Nova, a sul pela Espanha, a sudoeste por Vila Velha de Ródão e a oeste por Proença-a-Nova e por Oleiros. Os habitantes de Castelo Brancos são chamados albicastrenses.


Mapa do Distrito de Castelo Branco



Vejam este link: Curso Interativo de Português


Vamos chamar a atenção sobre alguns dos nossos links. A partir de agora haverá mais uma nova etiqueta: Os nosso links, onde salientaremos alguns deles.

E vale a pena começar por este que anda "escondido"  na seção Daqui e dacolá, que fica na parte direita do blogue, em baixo; é fácil chegar. Mas para tornar tudo mais fácil, cá está o link, cliquem e comecem a rever e a aprender português. É uma ferramenta muito útil, porque, ainda por cima, é interativo.


VOCABULÁRIO - DIÁLOGOS - EXERCÍCIOS - OUVIR E REPETIR - JOGOS


Este é o índice do curso. Passem e vejam!

Lição 1 – Vou apresentar-me
Lição 2 – Cores & Números
Lição 3 – Tempo: As horas e o calendário
Lição 4 – Partes do corpo humano
Lição 5 – Compras: Alimentação e vestuário
Lição 6 – Na cidade
Lição 7 – Um lugar para viver
Lição 8 – A família
Lição 9 – Transportes: Transportes públicos
Lição 10 – As profissões: À procura de emprego
Lição 11 – O processo de candidatura. A entrevista
Lição 12 – Agências governamentais. Regras e regulamentos
Lição 13 – A escola
Lição 14 – Dinheiro e finanças




quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Vamos lá praticar o ditongo nasal "ão" com o João!


Uma das coisas que mais chamam a atenção quando começamos a estudar o português é a riqueza de sons nasais que encontramos nesta língua. Entre estes, temos o ditongo nasal "ão".

Do disco Cantigas de encantar, do cantor alentejano Vitorino, eis a letra de uma canção intitulada "João". Vamos lá praticar o ditongo nasal que nestes versos encontramos aos montes!


JOÃO

João tira o gabão,
Vem o suão
Dos lados do Sião.
Ai, não ...
No avião, o chão

é uma ilusão,
Por distração
Vão todos p'ró Japão.


E p'ra Cantão,
Onde o barão
Assopra um furacão.
João…
Não deixes, não,
Olha a navegação
E pois então,
Vai tudo p'ró porão.


Com o pião,
Joga na mão,
Deita no caldeirão,
Senão,
Vem um lobão
E pagas um tostão
Pró São João
Te dar um borregão.






terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Meninos e futebol (Iana Soares)

Título: No tempo em que você sonhava (em Portugal diriam "No tempo em que tu sonhavas")


Título: Brasileirinho

O último Postal do Brasil aqui publicado foi uma fotografia de Iana Soares, a última mensagem do ano ("Papai Noel, eu quero que minha família seja feliz"). 

Agora ela volta com mais duas fotografias protagonizadas por meninos que jogam futebol. Gostam? Reparem nas faces deles: o primeiro, de olhos fechados, mas orgulhoso de ter jogado bem, de ter marcado um gol (lá no Brasil dizem gol  e em Portugal, golo); o segundo menino, coitado, de olhos fechados também, mas triste, possivelmente porque a equipa dele perdeu o jogo, sabe-se lá se porque ele não acertou na baliza...

As duas fotografias foram publicadas no jornal O Povo (www.opovo.com.br)



segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Ai, Margarida (Pessoa + Deolinda e Cristina Branco)




Lembram-se da flor chamada malmequer ("bem me quer, mal me quer, bem me quer...") e do nome feminino Margarida de que falámos no outro dia? Eu disse que ia publicar aqui um poema de que me lembrei intitulado Margarida.

Cá está, mas quem escreveu este poemazinho? Fernando Pessoa ou Álvaro de Campos? Foi Álvaro de Campos pela mão do seu criador, Fernando Pessoa, e que também criou mais autores, chamados todos heterónimos. Parece um pouco complicado, mas não é tão difícil assim. Um dia deste hei de falar deste poeta e escritor, Fernando Pessoa.

E como fecho desta mensagem, depois de lerem o poema, podem ouvi-lo cantado por artistas portugueses: Cristina Branco e a banda Deolinda.


AI, MARGARIDA

Ai, Margarida,
Se eu te desse a minha vida,
Que farias tu com ela?
— Tirava os brincos do prego,
Casava c'um homem cego
E ia morar para a Estrela.

Mas, Margarida,
Se eu te desse a minha vida,
Que diria tua mãe?
— (Ela conhece-me a fundo.)
Que há muito parvo no mundo,
E que eras parvo também.

E, Margarida,
Se eu te desse a minha vida
No sentido de morrer?
— Eu iria ao teu enterro,
Mas achava que era um erro
Querer amar sem viver.

Mas, Margarida,
Se este dar-te a minha vida
Não fosse senão poesia?
— Então, filho, nada feito.
Fica tudo sem efeito.
Nesta casa não se fia.

Álvaro de Campos / Fernando Pessoa


Deolinda e Cristina Branco cantam Pessoa



domingo, 22 de janeiro de 2012

Sabem todos o que é um peru?


Um peru bem vivo, coitado, não em forma de bifes como na mensagem anterior...

Peru, diz-nos a Wikipédia, é o nome comum dado às aves galiformes do gênero Meleagris. Uma espécie, Meleagris gallopavo, conhecida vulgarmente como peru-selvagem, é nativa das florestas da América do Norte. O peru-domesticado descende desta espécie. A outra espécie viva é Meleagris ocellata ou peru-ocelado, nativo das florestas da Península de Iucatã. Existem várias espécies extintas com idades até aos 23 milhões de anos com variantes selvagens e domesticadas, originária da América do Norte e aparentadas com os faisões.

O nome peru (em português sem acento) tem sua origem provavelmente do topônimo Peru, por acreditar-se no século XVI que era dali que se exportava a ave para Portugal.





sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Áudio: A lista de compras da Daniela

Uma nova etiqueta para o nosso blogue: Áudio. As mensagen publicadas com ela servirão para melhorar a vossa capacidade de compreender o português oral. Como são muito breves, podem ouvir, bom, é melhor escutar  –já sabem, ouvir com mais atenção– várias vezes.


Escutem agora a lista de compras da Daniela e escrevam nos Comentários o que é que ela compra. Não se esqueçam de dizer o vosso nome e a turma. São pouco mais de 30 segundos. Podem ouvir as vezes que quiserem.



Nota. Por causa do acento de Áudio, encontram esta etiqueta no fim da lista, com África, e não no princípio.

Lentilhas em vez de óculos? Não, obrigado

Fotografia de Virgínia Otten

Lentilhas em vez de óculos? Não, obrigado. Lentes de contacto, se não se importa.

Estão a ver? Em português as lentilhas comem-se, são um legume. Se eu quero substituir os óculos, devo fazer uma operação ou pôr umas lentes de contacto.





quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Espantalhos (Rita Siza)


 Procurando um papel numa pasta, dei com este artigo de Rita Siza sobre espantalhos. Cá está para vocês:

Nascem e morrem em função do ciclo natural das colheitas . Enquanto vivem, resistentes às últimas chuvas e valentes sob o calor sem sombra, protegem as colheitas das invasões da passarada e fazem as delícias das tardes das crianças, que a tudo se esforçaram para torná-los “de verdade”. E, assim, ficaram.

São feitos de madeira e palha, mas a imaginação das crianças — as centenas que já participaram na Oficina de Espantalhos promovida pela Fundação Serralves, no Porto — tem-nos tranformado em verdadeiras personagens de histórias que a sua imaginação inventa. As roupas e os acessórios são da inteira responsabilidade dos mais miúdos. Eles agarram em tudo: camisolas, pijamas, calças, vestidos compridos... e chapéus, bonés, cartolas, fitas , colares, belas tranças, penas de índio... Há aqueles que são adeptos de causas especiais: os que incentivam à reciclagem, os que pregam pelo exercício físico, os que lembram a proteção que deve ser dada à floresta e a toda a natureza.

Nascem das mãos das crianças, e são por elas baptizados. Nascem, ao princípio do dia, de ripas cobertas de palha. Quando o sol se vai, já têm o seu nome. Até ao fim do Verão ali ficam, de braços abertos e sorrisos pintados: a Olguinha, o Funileiro, o Chico, o Cativa Corações, a Miss Limpa... Partem com a vinda do Outono, mas despedem-se em grande estilo. Na altura da desfolhada, os seus préstimos não são mais precisos. São, então, transformados numa grande fogueira, onde se vão consumindo para depois irem alimentar as terras que protegeram ao longo do Verão. Mas porque não desaparecem da memória dos meninos e meninas, nem das suas histórias, prestamos-lhes hoje a nossa homenagem.

Rita Siza



segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Sande, sandes...



Sanduíche é o aportuguesamento da palavra inglesa "sandwich"; admitem-se também as palavras sande e sandes. Mas vejamos o que nos dizem aqui, Em Português Correcto:

Uma sande ou uma sandes? O problema que se coloca relativamente ao uso destas formas é que tal uso ainda não foi regulamentado, visto que se trata de um aportuguesamento, no registo popular, da palavra inglesa «sandwich».

Alguns dicionários apenas registam a forma "sande" como sendo uma variante popular de "sanduíche", nesse caso, "sandes" deveria ser considerada como o plural de "sande". No entanto é mais usual a designação de sandes, embora esta não surja dicionarizada.

Enquanto os especialistas da língua não resolvem a questão, que tal dizermos: "queria um pão com fiambre"? 


A alguém que lhe pergunta se se diz sande ou sandes, Antonio Marques responde assim:

(...) à sua pergunta se ‘é umas sandes ou uma sandes’, é uma sande; se é mais do que uma, então sim, são ‘umas sandes’. Sande ou sandes aparecem nos dicionários recentes como sinónimos. Eu posso pedir, portanto: “Dê-me aí uma sande, por favor”. Ou então: “Dê-me aí uma sandes, por favor”.

E se por acaso isto tudo tivesse sido pouco,  o FLIP, para quem quiser ler, diz isto.

Ficaram, pois, esclarecidos?


E nós diríamos "bocadillo"...





sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Uma bonita notícia

"Negão, o cachorro herói "

Não sei quando é que isto aconteceu, mas li esta notícia e julguei interessante que vocês a conhecessem. É uma noticia bonita, não é?

Reparem que no Brasil empregam a palavra cachorro para o que em Portugal é um cão.


Cachorro salva vida de homem que caiu em poço

Um homem de 45 anos foi salvo pelos latidos de um cachorro após cair em um poço de oito metros de profundidade em Jacareí, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo.

Negão, o cão vira-lata do lavrador Ricardo de Almeida, ficou parado em um lugar que aparentemente não tinha ninguém e começou a latir sem parar. Ricardo chamou o cão, mas ele insistiu em não obedecer. Até que, graças à insistência do animal, o dono se aproximou e escutou um grito que vinha de um poço.

“Ele estava latindo muito e eu acabei vindo ver o que era. Quando escutei o grito, vi que poderia ter uma pessoa lá”, conta Ricardo.

Assustado, ele procurou ajuda. A vítima já estava presa, com o corpo dentro da água, há 11 horas.

Graças à atitude do cão, os bombeiros conseguiram fazer o resgate, o homem foi encaminhado para o hospital e está se recuperando.


(Fonte: O Globo / Folha de S. Paulo / Portal Terra / Globo.com)



quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

"Uni,duni,tê..."

É assim, as férias acabaram e toca a seguir na escola. Foram boas as férias? Voltamos às aulas.

Bem-vinda toda a gente neste 2012!


"Uni,duni,tê
Salamê, minguê,
Um sorvete colorido
O escolhido foi você!
Minha mãe mandou eu escolher este aqui.
Mas como eu sou teimoso eu vou escolher esse daqui!"


(Lido em ¡Olé! Idiomas)